powered by Typeform

VC#23 Trabalhando no Worldpackers e sendo Au Pair

Nova Iorque
Estamos começando uma nova temporada do podcast! E nessa temporada, estreamos com três episódios sobre os Estados Unidos. Hoje começa o primeiro, sobre a ida da Camila Vieira para os Estados Unidos para trabalhar sobre Au Pair. Eu não conhecia bem esse programa, então aprendi muito com ela!

Além disso, tivemos um gostinho da viagem dela pelo Worldpackers para trabalhar num hostel em São Paulo - que foi curiosamente quando tive a oportunidade de a conhecer.

Worldpackers

Vamos começar sobre esse programa de trabalho em troca de hospedagem do qual eu já quis participar. A Camila teve sua primeira experiência com o programa em 2019, quando ela decidiu adquirir a anuidade - pelo que ela contou custava cerca de R$ 200,00 na época. Depois de adquirir esse pacote, ela procurou um Hostel que ficasse relativamente perto do Rio de Janeiro para poder voltar para casa caso algo desse errado.

Depois de ver as várias reviews do We Hostel, no bairro Vila Mariana, ela decidiu ir trabalhar lá, onde ficou por cerca de 50 dias. Nessa época, ela visitou a Igreja Batista de Vila Mariana, que foi onde nos conhecemos.

No programa do qual ela participou, ela tinha direito a hospedagem, café-da-manhã e almoço, mas isso varia conforme o local. A rotina dela tinha horários bem variados, já que os turnos na recepção do hostel cobriam as 24h que ele fica aberto.

No geral, ela disse que a experiência foi muito boa e que ela iria outras vezes!

Au Pair

Primeiro o que é o programa de Au Pair? Para quem, como eu, não saberia explicar logo de cara, aí vai uma explicação curta e simples: é um programa de babá que existe em outros países, sendo mais comum nos Estados Unidos.

O programa de Au Pair tem alguns requerimentos, como ter experiência com crianças, passaporte e, não é obrigatório, mas é muito recomendado, ter habilitação para dirigir.

Embora a maior parte dos Au Pairs sejam mulheres, o programa está aberto para homens também. Pelo que a Camila falou, vários homens alemães se candidatam a serem Au Pair.

O programa normalmente é feito através de uma agência, sendo que a Camila foi pela Cultural Care, que fazia toda a intermediação entre o candidato a Au Pair e a família que o receberá nos EUA.

Após a Camila criar seu perfil no portal, ela começou a conversar com uma família, com a qual acabou fechando a viagem. Ela então pegou o vôo, chegou para fazer uma semana de treinamento na escola da agência e depois foi para a casa da família em Washington D.C.

No pouco tempo que ela estava lá, pôde perceber que as expectativas dela e da família não estavam alinhadas. Algum tempo depois, a família pediu rematch.

Quando ocorre o rematch, a família pode permitir ou não que a Au Pair continue hospedada com eles e, da mesma forma, pode querer que ela continue trabalhando e sendo remunerada. Se eles não quiserem que a Au Pair continue lá, a Au Pair pode ficar na casa da líder de Au Pair regional.

No caso da Camila, a família continuou a remunerando e hospedando, embora tenham dito que ela não precisava continuar trabalhando. Ela então encontrou outra família em Nova Iorque (que por sinal era um lugar que ela sonhava em conhecer) e foi para essa família que também estava de rematch.

São Francisco
A partir de então, a experiência dela foi ótima. Ela foi de uma família com duas meninas uma criança e uma pré-adolescente para uma com duas crianças gêmeas de três anos. Numa região super bem localizada, com acesso a metrô e a transporte público para qualquer lugar.

Ela ainda contou sobre a roadtrip dela pela Califórnia com amigas brasileiras que ela conheceu por lá e depois sobre um voo barato que encontrou de Nova Iorque para Paris, para onde foi com uma dessas amigas.

O que faz o programa de Au Pair valer a pena? Segundo a Camila, o investimento inicial se pagou bem rápido, sendo que em poucas semanas o salário dela já havia coberto os gastos.

A remuneração mínima é estabelecida pelo governo americano e, na época em que ela foi, era de US$ 195,75/semana sendo que a carga horária máxima é de 45 horas semanais. Essa remuneração não varia conforme o número de horas, embora o valor da remuneração possa ser negociado para mais com a família - o que não é muito comum, visto que há muita oferta de Au Pairs. As férias são de duas semanas durante o programa e devem ser em datas acordadas com a família.

A Camila ainda nos contou que para receber o salário é obrigatório abrir uma conta em um banco americano, além de que é necessário obter seu "RG" lá, que chama Social Security Number.

Principais Dicas

Quais as principais dicas que ela deixou para quem está indo viajar?
1. Saiba qual o seu objetivo com o intercâmbio. É aprender inglês? Juntar dinheiro? Comprar algo? Pense bem sobre isso e mantenha o foco!
2. Pesquise os requerimentos e monte um plano de ação para cumprir com todos. Ela não tinha experiência com crianças, então se voluntariou numa creche para cumprir esse requisito.
3. Aproveite! Um dia você vai sentir saudades do que viveu lá!

Escute o episódio completo no player abaixo e confira as fotos no insta @viagemcast.

Até a próxima e boas viagens!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

VC#35 Mestrado em Worship Studies nos EUA

VC#32 Expatriada em Vancouver

VC#33 Amigas no Atacama e Uyuni