Postagens

Mostrando postagens de 2020
powered by Typeform

VC#32 Expatriada em Vancouver

Imagem
Lissa Jones  viajou com seu marido para os Estados Unidos em 2015 e, a partir de então, a vontade de morar em outro país surgiu. Eles começaram a estudar as possibilidades, sendo que em janeiro de 2017 começaram o processo de se candidatar ao Express Entry (Federal Skilled Worker) , programa de imigração canadense. Em 2018 eles fizeram o que é denominado landing  como a oficialização da entrada no país como imigrante. Mas como o marido de Lissa era da força aérea brasileira, ele tinha ainda algumas atividades para encerrar no Brasil antes da mudança definitiva, sendo que apenas em julho de 2019 eles se mudaram definitivamente. Federal Skilled Worker (Express Entry) É um programa do governo canadense ao qual você se candidata e, com base em suas qualificações acadêmicas e profissionais, além da sua idade e de outros fatores, você é rankeado na base canadense. Regularmente, o governo canadense emite convites de cidadania para os "prospects" melhor rankeados que tem então a poss

VC#31 Estagiando na Bélgica

Imagem
O Samuel Jardim , graduado e mestre em Engenharia Química pela USP, decidiu durante a graduação fazer um intercâmbio. Apesar de ter tomado essa decisão mais para o final da graduação, quando o programa Ciência Sem Fronteiras já havia acabado, ele seguiu firme no seu propósito. A primeira oportunidade foi de ir para a Itália, mas acabou que essa oportunidade não deu certo. Ele comentou sobre como foi lidar com um "não" para algo que ele já tinha criado expectativas. O Samuel se lembrou então, que o professor do laboratório no qual ele tinha estagiado, enviava regularmente alguns alunos para estagiarem em laboratórios de universidades estrangeiras. Ele então pediu para que na próxima oportunidade o professor o avisasse para ele se candidatar. Quando abriu o próximo processo seletivo, o professor Jonas Gruber  o avisou. Ele se candidatou, orando para que fosse feita a vontade de Deus quanto a essa oportunidade. Seria sua última chance antes de se formar, mas ele sabia que a vont

VC#30 Desenvolvedor alocado no México

Imagem
Estevam Machado, nosso entrevistado de hoje, é desenvolvedor no Nubank  e foi alocado para trabalhar com a equipe do banco no México. Ele foi para lá no final de 2019 e, como foi a trabalho para ficar menos de 6 meses, não precisava de visto. A única exigência era de que ele tivesse um passaporte válido. A passagem pela imigração foi bem tranquila, mas como é necessário preencher um formulário, ele recomendou que se levasse uma caneta porque isso agiliza o preenchimento. Pagamentos no México O Estevam ficou surpreso ao descobrir que no México muitos lugares não aceitam cartão - até alguns museus nacionais aceitam apenas dinheiro. Ele abriu uma conta digital lá, chamada Cuenca  e usou o Transferwise para realizar as transferências bancárias para sua conta no exterior. O cartão dele chegou no hotel no mesmo dia, em cerca de 1h30. Viagens Lá no México, o Estevam visitou Oaxaca , uma cidade muito legal além de ser histórica. Além disso, viajou para a região de Cancún, visitando Tulum e as

VC#29 Inglês voltado a negócios na Austrália

Imagem
Nossa entrevistada dessa semana foi a Natália Barbosa. Formada em engenharia química pela USP, a Naty estava procurando um intercâmbio para aprimorar seu inglês voltado a negócios. Dentre as muitas opções de países para se estudar inglês, os planos dela eram de ir para a Europa, mas os preços dos pacotes da agência eram melhores para os Estados Unidos e para o Canadá. Ela fez um teste com suporte da agência para auxiliar na escolha. Os resultados não apontaram nem para Europa nem para a América do Norte, mas sim para a África ou Oceania! A Naty escolheu então ir para a Austrália e com certeza foi a escolha certa, porque em suas palavras "parecia que estava vivendo um sonho". Ah, ela não foi a única que disse isso, a Camila do 23º episódio também se sentiu num sonho vivendo em Manhattan. Visto O pacote que a Naty contratou com a agência West 1  era bem completo, incluindo tanto a obtenção do visto , quanto a permissão para trabalhar no país. Pelo que a Naty contou, é necessár

VC#28 High School na Irlanda

Imagem
Irlanda - Arquivos da Isa A entrevistada da semana foi a Isabella Franco , que cursou um ano do Ensino Médio na Irlanda e ainda retornou para o Brasil sem perder o ano escolar. A Isa foi para a Irlanda em 2008 e um dos desdobramentos dessa viagem é que ela acabou se tornando professora de inglês  - e blogueira na página Pedagogia da Graça ! A Isa viajou pela agência Education First  e, na época, o intercambista escolhia apenas o continente para o qual iria, sendo que as famílias estrangeiras que escolhiam o aluno. Na época com 15 anos e sem celular, pegou o avião daqui do Brasil, rumo à Irlanda. Sua primeira parada seria a Inglaterra, onde ficaria em um acampamento com outros estudantes intercambistas da mesma agência. O que a Isa não contava era com uma hipoglicemia que a fez desmaiar no aeroporto. Ela acordou com uma funcionária do aeroporto perguntando se ela estava grávida, o que a deixou não pouco constrangida ao responder que estava com hipoglicemia. Depois desse susto, chegou be

VC#27 Estados Unidos: Major em Pre-Med e Minor em Teologia

Imagem
Vivian em Boston Você já pensou em cursar a graduação em outro país? A entrevistada da semana é a Vivian Borges, que fez o seu major em Pre-Med e o minor em Teologia nos Estados Unidos. Foram 4 anos e ela passou por duas faculdades: a Biola University e a The Master's University . O que é Pre-Med? Nos Estados Unidos, alguns cursos como medicina e direito, exigem que você curse uma graduação antes de poder optar por cursar medicina (ou direito). Pre-Med é o nome "popular" que os alunos dão à graduação que vão obter junto com os créditos necessários para entrar em medicina. Por exemplo, eles podem obter um Major em Biologia com os créditos necessários para medicina ou ainda o Major em um idioma com os créditos necessários para medicina. Medicina exige créditos específicos, conforme cada universidade, além de serem consideradas as notas no MCAT, experiências extracurriculares e cartas de recomendação. O que é necessário para a graduação nos Estados Unidos? No 24º episódio o

VC#26 Patagônia e a Terra do Fogo

Imagem
O nosso entrevistado dessa semana foi o Joálisson Gusmão , que nos contou sobre o seu mochilão pela Patagônia. Ele e mais um amigo, decidiram colocar a mala nas costas, viajar depois do expediente no trabalho e voltar na noite anterior do término das férias. Valeu a pena? Ouvindo esse episódio você vai chegar à conclusão que sim. Eles conheceram desde Bariloche até o Ushuaia, chegando a visitar a quarta maior geleira do mundo, que é o glaciar Perito Moreno.  O Joálisson ainda contou sobre a ida deles ao Monte Fitz Roy , que embora não seja uma das montanhas mais altas dos Andes, é considerada de extrema dificuldade devido às lajes escorregadias e ventos fortes. Mas não, eles não escalaram as montanhas, apenas as apreciaram ao longe. Eles foram descendo pelo nosso continente até chegar ao Ushuaia, onde passearam de barco pelo Canal de Beagle , onde virão Leões Marinhos e Pinguins. Principais Dicas Não é necessário passaporte para visitar a Argentina, apenas o RG é suficiente - mas veja

VC#25 Viajando para o Alabama

Imagem
Pri no Alabama No episódio dessa semana conversamos com a Priscila Carneiro , que conheceu alguns amigos americanos por meio do ministério Footprints, os quais ela teve a oportunidade de visitar ao viajar para lá. Acho que a primeira coisa legal de saber é que a Pri, depois de terminar o curso de inglês, acabou indo participar do ministério do Footprints , onde teve a oportunidade de traduzir o que os americanos que estavam aqui no Brasil tinham para compartilhar com as famílias.  Ela disse que uma das experiências mais marcantes para ela no Footprints foi a primeira tradução que ela fez, na qual o amigo brasileiro dela a pediu para ficar encarregada da tradução e, apesar do nervosismo dela, a deixou conduzir toda a tradução sem se envolver para dar dicas de tradução. Isso a ajudou a ter mais desenvoltura. Além do ganho para o inglês, foi nessa viagem missionária que a Pri decidiu que queria servir em tempo integral com a sua formação profissional em farmácia. Mas, voltando à sua viage

VC#24 Faculdade e Residência nos Estados Unidos

Imagem
Filipe no parque da Universal Começamos na semana passada a terceira temporada do Viagemcast, com o episódio da Camila Vieira sobre ser Au Pair nos Estados Unidos . Na sequência, temos mais um episódio sobre morar nos EUA, dessa vez com o Filipe Rocha que se formou na Liberty University e agora trabalha como Gerente de Projetos na Virgínia. A jornada dele pelo mundo começou como a minha, em 2014 viajando para a Hungria. Lá ele pegou gosto por conhecer esse mundo cheio de lugares maravilhosos e, voltou para o Brasil, com o sonho de passear mais e inclusive de ir morar nos Estados Unidos. Requisitos Mas aí começa a parte de requisitos né? O Filipe havia trancado a faculdade de Engenharia de Produção na PUC-SP para ir para o Palavra da Vida Hungria e, ao retornar, estava pensando em ir para a Liberty University, na Virgínia. Ele teve então que obter o TOEFL, fazer a candidatura para a faculdade americana e ainda comprovar que tinha como pagar os custos da faculdade. O Filipe havia cons

VC#23 Trabalhando no Worldpackers e sendo Au Pair

Imagem
Nova Iorque Estamos começando uma nova temporada do podcast! E nessa temporada, estreamos com três episódios sobre os Estados Unidos. Hoje começa o primeiro, sobre a ida da Camila Vieira para os Estados Unidos para trabalhar sobre Au Pair. Eu não conhecia bem esse programa, então aprendi muito com ela! Além disso, tivemos um gostinho da viagem dela pelo Worldpackers para trabalhar num hostel em São Paulo - que foi curiosamente quando tive a oportunidade de a conhecer. Worldpackers Vamos começar sobre esse programa de trabalho em troca de hospedagem do qual eu já quis participar. A Camila teve sua primeira experiência com o programa em 2019, quando ela decidiu adquirir a anuidade - pelo que ela contou custava cerca de R$ 200,00 na época. Depois de adquirir esse pacote, ela procurou um Hostel que ficasse relativamente perto do Rio de Janeiro para poder voltar para casa caso algo desse errado. Depois de ver as várias reviews do We Hostel, no bairro Vila Mariana, ela decidiu ir trabalhar l

VC#22 Rindo no Intercâmbio

Imagem
Diversão no Campus Enquanto eu preparo as entrevistas da 3ª Temporada, pensei que nessa semana seria legal termos um post sobre coisas que eu nunca esperei que fossem acontecem num intercâmbio. Estar numa cultura diferente exige uma adaptação cultural (veja mais no 20º episódio sobre choque cultural ) e, na nossa vida, tem sempre aqueles desencontros e gafes engraçadas, não é mesmo? Então eu vou compartilhar com vocês algumas coisas que aconteceram comigo e que são em alguma medida engraçadas ou estranhas. Macarrão com geleia Uma das recordações que a minha família mais ri a respeito foi do dia em que contei que no Campus na Hungria serviram macarrão com duas opções de complemento: açúcar de confeiteiro ou geleia. Quem me conhece, deve estar falando que não acredita que eu comeria alguma dessas coisas, porque eu não sou muito fã de comidas diferentes - digamos que meu estômago não as aceita muito bem, por isso eu evito. Goulash Mas se coloca no meu lugar: na Hungria eles comem muita so

VC#21 Viajando pelos Oceanos

Imagem
Logos Hope (2019) No dia 8 de junho foi comemorado o Dia Mundial dos Oceanos. Em homenagem a esse dia, o post e episódio dessa semana serão sobre viagens nos Oceanos. Embora eu não tenha um entrevistado sobre o tema dessa vez, vou compartilhar sobre quatro história verídicas, que li nos livros: A História do Navio Logos  - navio sobre o qual ouvi falar pelos meus pais, li a história no referido livro e por fim, em 2019, finalmente conheci um de seus sucessores, o Logos Hope - Diário de Bordo: Um Navio, Um Casal, 30 países e muitas histórias, Trabalhe 4 horas por Semana e Diáriode Bordo uma Viagem ao Caribe . O primeiro livro, conta sobre o sonho que o seminarista americano George Verwer tinha nos anos 50 de criar um navio-livraria que viajaria o mundo compartilhando conhecimento por meio de livros, além de falar sobre a Palavra de Deus. Esse sonho que parecia surreal tornou-se realidade em 1970 com a aquisição do navio. Essa aquisição por si só foi uma luta e uma prova para a fé desse

VC#20 Choque Cultural

Imagem
Choque cultural. Embora tenha sentido esse "choque" quando fiz intercâmbio pela primeira vez, eu não sabia como se chamava. Sabia menos ainda que havia algo chamado choque cultural reverso. Mas o sentimento forte de amar o novo lugar que você está conhecendo, depois um outro período em que você sente falta de tudo na sua casa e vice-versa era algo rotineiro. Que com o tempo foi reduzindo, reduzindo, reduzindo até se tornar o dia-a-dia com dias bons e dias ruins. Quando eu estava na França, cursei uma disciplina que se chamava "Cross-Cultural Management". Nessa disciplina conversamos sobre as diferenças entre culturas e sobre o que era o choque cultural. Também fiz uma outra matéria chamada "International Mobility and Career Development", onde discutimos carreiras internacionais e a adaptação no exterior. Essas duas matérias me ajudaram a estar preparada para lidar com o processo de mudança de país e algumas das "ferramentas" que conheci enquanto