powered by Typeform

VC#30 Desenvolvedor alocado no México

Estevam Machado, nosso entrevistado de hoje, é desenvolvedor no Nubank e foi alocado para trabalhar com a equipe do banco no México. Ele foi para lá no final de 2019 e, como foi a trabalho para ficar menos de 6 meses, não precisava de visto. A única exigência era de que ele tivesse um passaporte válido. A passagem pela imigração foi bem tranquila, mas como é necessário preencher um formulário, ele recomendou que se levasse uma caneta porque isso agiliza o preenchimento.

Pagamentos no México

O Estevam ficou surpreso ao descobrir que no México muitos lugares não aceitam cartão - até alguns museus nacionais aceitam apenas dinheiro. Ele abriu uma conta digital lá, chamada Cuenca e usou o Transferwise para realizar as transferências bancárias para sua conta no exterior. O cartão dele chegou no hotel no mesmo dia, em cerca de 1h30.

Viagens

Lá no México, o Estevam visitou Oaxaca, uma cidade muito legal além de ser histórica. Além disso, viajou para a região de Cancún, visitando Tulum e as ruínas maias por lá.

Lucha Libre

Eu já tinha ouvido falar de lucha libre, mas honestamente não fazia a menor ideia de que não era uma luta real, mas sim um teatro. O que o Estevam disse que foi mais legal, foi ver como a plateia comprava a ideia da luta, "participando" do espetáculo como se fosse uma luta real. A luta em si, envolvia muitas acrobacias e encenações dos lutadores.

Perrengue

Em uma das viagens, Estevam e seus amigos estavam no aeroporto esperando o avião. Quando a aeronave chegou, os ônibus estavam buscando os passageiros e levando para embarcar no avião. Eles acabaram ficando na última viagem do ônibus, porque eram muitos passageiros. Só que quando o ônibus voltou para buscá-los, eles viram a aeronave indo embora sem eles. Pois é, houve uma falha de comunicação e eles acabaram ficando para trás!

Transporte

Na cidade do México, há metrô que custa cerca de 5 pesos. Na cotação do câmbio da época, era cerca de R$ 1,00. Uma coisa importante de se saber é que nem todo lugar tem Uber por lá. Muitas vezes é necessário pedir táxi e eles sempre solicitavam indicações de taxistas para o pessoal do hotel ou restaurante em que estivessem.

Chip de celular

Você pode adquiri um chip em qualquer loja de conveniência do México, sendo que com cerca R$ 30,00 você consegue um bom pacote de internet para o mês. O Estevam recomendou a Telcel, que para quem vai fazer conexão para os Estados Unidos, sai mais barato que os planos americanos e funciona na terra do Tio Sam.

Igreja

Enquanto Estevam estava no México, ele frequentou a presbiteriana de lá, situada na Av. Paseo de La Reforma, perto de onde ele estava hospedado.

Curiosidades

  • A comida mexicana em si, normalmente não é apimentada. O que são apimentados são os molhos, que são servidos à parte e você coloca a quantidade que quiser
  • Os mexicanos gostam muito de tacos, tipo, em tudo! Uma frase que um mexicano disse para ele quando estava visitando o Brasil foi "Que delícia a comida brasileira, mas bem que a gente poderia enrolar numa tortilla"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

VC#32 Expatriada em Vancouver

VC#25 Viajando para o Alabama

VC#23 Trabalhando no Worldpackers e sendo Au Pair