powered by Typeform

VC#35 Mestrado em Worship Studies nos EUA



No episódio dessa semana, a Ananda Bossois compartilhou sobre como foi a experiência dela no mestrado e na certificação que ela obteve nos Estados Unidos. A Ananda sempre tinha tido vontade de morar em outro país e, após seu bacharel em Educação Musical no Brasil, ela decidiu ir para os EUA fazer um curso de inglês ao invés de prestar uma prova de proficiência e, após esse curso ela estaria habilitada a iniciar o mestrado por lá. Mas nem tudo é como planejamos, não é? Ela acabou não conseguindo cursar o mestrado por motivos diversos e voltou para o Brasil após os 9 meses de curso de inglês.

A vida seguiu aqui no Brasil e se passaram três anos em que ela havia "decidido" que se não funcionou era porque não era para ser. Mas, "tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu" (Eclesiastes 3:1), então durante esse tempo aqui, ela decidiu se voluntariar no Footprints, o mesmo ministério que a Pri Carneiro do episódio 25, onde ela atuava como tradutora. E só para quem se interessar, não é pré-requisito ser fluente para se envolver no ministério. Por lá, ela percebeu que o que mais gostava era de dirigir o louvor em duas línguas diferentes, poder estar louvando em um ambiente multicultural e em mais de um idioma. Ela participava das 5 viagens missionárias que ocorriam em cada ano, ansiosa por poder participar mais.

A Ananda começou a sentir que Deus a estava chamando para fora do país novamente. Ela lendo a Bíblia um dia teve a convicção de que deveria tentar novamente, mas enquanto orava ela disse a Deus que não tinha como pagar os estudos e só se Ele interviesse ela poderia cursar o mestrado. Então, em uma das viagens missionárias, uma americana disse para ela que Deus tinha colocado no coração dela de patrocinar os estudos da Ananda. E agora não dava para falar não, né?

Nos EUA de novo!

A Ananda começou então a entrar em contato com faculdades nos EUA, mas nesse processo, a faculdade que ela tinha estudado inglês e não tinha conseguido ficar para o mestrado a contatou e convidou para retornar. Só que... Voltar para o mesmo lugar que não deu certo da primeira vez? Foi difícil, mas Deus trabalhou no coração da Ananda e ela entendeu que era exatamente para lá que ela deveria ir. Agora era o momento certo de cursar o mestrado.

Rotina da Faculdade

A Ananda gostaria de ir para o Alabama visitar sua patrocinadora antes de ir para a faculdade em Dallas, no entanto ela não podia chegar no país mais de 1 mês antes do início dos estudos. Isso fez com que ela tivesse que mudar seu voo e ir direto para o Texas.

Na Dallas Baptist University, existem residências estudantis dentro e fora do campus. Dentro do campus os "dorms" (dormitórios) não possuem cozinha e os alunos precisam fazer o "meal plan" que seria equivalente a comer no bandeijão ou restaurante universitário aqui no Brasil. Os alunos são alocados em dormitórios aleatoriamente e, a moradia nos dorms é obrigatória para os alunos do primeiro ano da graduação (freshman) e para os alunos que tem menos de 18 anos. No caso da Ananda, por ser aluna internacional de mestrado, ela foi alocada num apartamento da faculdade fora do campus, onde tinha acesso mais fácil ao mercado e demais facilidades. Vale lembrar que "acesso fácil" quer dizer que a faculdade tinha vans que levavam no mercado e levavam ao campus em horários pré-determinados. Nos EUA o transporte público é precário e a maior parte dos nativos tem carros próprios. No caso da Ananda, que não tinha carro, ela se utilizava das vans da faculdade. É engraçado como ela conta que a vida era em torno do campus. Estudar, trabalhar, amizades, eventos, tudo no campus!


Com relação às aulas, ela conta que esperava ter que ralar muuuito. A mesma coisa que o Filipe Rocha contou no episódio 24. E ambos chegaram à conclusão de que tirar boas notas não era tão difícil. A dificuldade estava em se organizar. Tudo lá precisa ser planejado, você precisa ser extremamente pontual (ouçam no episódio 24 o Filipe contando sobre um amigo que chegou no horário cravado na aula) e você precisa chegar nas aulas já preparado. Isso significa ter o material pronto e, em alguns casos, já ter começado as leituras. A Ananda disse que é essencial que você tenha um calendário e já planeje quando fará cada trabalho para entregar no prazo.

Certificação

Após o mestrado, a Ananda foi cursar uma certificação em Multicultural Worship no Wycliffe Bible Translators. Eu fiquei super feliz em conhecer a experiência dela lá! Recentemente li a história da Rachel Saint, missionária no Equador entre a tribo Waorani (Aucas). A Rachel tinha o sonho de levar o evangelho a povos não alcançados e, como missionária do Wycliffe foi viver no meio desse povo que era extremamente hostil e matava todos que se aproximavam (inclusive havia matado seu irmão, quando ele tentou ficar amigo deles). Não vou dar mais spoilers, mas vou colocar aqui o link da Amazon para esse livro que é produzido pela Editora Shedd e dos outros dois da série que li e amei (comprei todos no Palavra da Vida Caldas Novas)!
Nessa certificação, a experiência de morar no campus foi bem diferente. Morar no campus significava morar numa "casa" com outros estudantes, onde cada um tinha o seu quarto. E, ao contrário do mestrado, ela estudava loucamente (além de ter três empregos para se sustentar). Foi uma experiência bem intensa.

Trabalho

Hoje a Ananda trabalha numa igreja em Washington DC e diz que a rotina é bem diferente. Ela é a mais nova do staff, então o pessoal tem menos tempo para sair, já que estão em outra fase de vida. A correria de Washington é bem parecida com a de São Paulo e ela sente muita diferença com relação a como era em Dallas. A organização continua sendo primordial e ela precisa apresentar um work plan antes de começar qualquer projeto na igreja. Tudo tem o seu tempo certo e, no tempo certo, o desejo de morar em outro país frutificou para ela.

Boas viagens!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

VC#13 Roadschool em tempos de homeschool

VC#32 Expatriada em Vancouver

VC#23 Trabalhando no Worldpackers e sendo Au Pair